PortalInícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Curiosidade: Estilos de anime e mangá, e aí qual é o seu?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Insônia
Aquele que nunca dorme
avatar

Número de Mensagens : 35
Idade : 27
Localização : Perdido
Data de inscrição : 11/07/2008

MensagemAssunto: Curiosidade: Estilos de anime e mangá, e aí qual é o seu?   Seg 14 Jul 2008 - 1:08

Kodomo, o termo é traduzido como "criança", e, é usado para se referir aos quadrinhos nipônicos dedicados aos pequenos. São geralmente histórias mais simples e engraçadinhas, algumas com teor pedagógico.

O mais famoso dos mangás kodomo é, sem dúvida, Doreamon, criado em 1969, cuja publicação mais recente data de 2005. A versão anime do gato azulado do séc. XIII, perdido na nossa época, chegou a ser exibida no Brasil pela extinta Rede Manchete.

Shounen, traduzido como "garoto" e literalmente como "poucos anos", designa os mangás destinados aos adolescentes do sexo masculino.

Suas características tidas como marcantes são a ênfase na ação e nas cenas de combate comparadas aos demais elementos da história. Alguns focam relações amorosas de forma humorística, sendo quase um clichê a história do rapaz - usualmente tímido e indeciso - cercado por belas garotas, como Tenchi Muiyo ou Vídeo Girl Ai.

Os desenhos de shounen seriam menos rebuscados em sua arte final, de modo a imprimir maior agilidade e dinamismo nas cenas de ação.

Entretanto, especialmente nos últimos anos, tais "regras" vêm sendo minimizadas, e, elementos tidos como de outras categorias são empregados com mais freqüência. Por exemplo, Tsubasa Resovoir Chronicles do Clamp, é um shounen que coloca a ação praticamente no mesmo patamar do romance e do drama.

Alguns exemplos de mangás shounen de sucesso são Saint Seya, Dragon Ball Z, Yu Yu Hakushô, Naruto, Bleach, Rurouni Kenshin, Gundam e Macross.

Shoujo, traduzido como "garota", literalmente "pouca mulher", seria a contraparte etária do shounen, dedicado às adolescentes do sexo feminino. Seus traços seriam mais delicados, com uma arte-final mais rebuscada e detalhada.

A ênfase temática estaria no romance, nas inter-relações dos personagens e nos seus conflitos pessoais. Entretanto, o que já se foi dito sobre a mistura de características de elementos no shounen, também se aplica aos mangás shoujo. Por exemplo, Guerreiras Mágicas de Rayearth utiliza ingredientes de mecha (robôs gigantes), tido como uma temática típica dos shounen.

Um dos subgêneros mais famosos do shoujo talvez seja o mahou shoujo ou magical girl, como Sailormoon ou Tokyo Mew Mew ou Super Pig, onde uma garota recebe poderes especiais para lutar contra as forças do mal.

Outro subgênero de destaque são aqueles focados na vida escolar, narrando as desventuras amorosas dos estudantes, destacando um casal, geralmente com personalidades antagônicas. Exemplos dessa temática são vistos em Karekano e Lovely Complex.

Seinen são os mangás voltados para um público masculino mais velho, especialmente adultos jovens entre 18 e 25 anos. Eles aprofundam temas que são, às vezes, apenas insinuados nos shounen, e, mesmo, shoujo. Geralmente contém uma temática mais aprofundada, cenas de violência mais explícitas e insinuações sexuais mais diretas.

Existe um foco maior na história em detrimento da ação, e, algumas vezes, suas narrativas são mais atreladas à "lógica da realidade".

Alguns exemplos de seinen conhecidos no Brasil são Chobits, xXxHolic, Patlabor, Berserk, Ghost in the Shell e Elfen Lied.

Josei é a contraparte feminina do seinen, dedicado principalmente às jovens mulheres. Os traços finos e delicados desses trabalhos, além da temática focada nas inter-relações pessoais dos personagens, fazem com que sejam, por vezes, confundidos com shoujos.

Contudo, sua narrativa é usualmente mais densa e realista. E as referências sexuais, tais como no seinen, são mais explícitas.

Nana, Paradise Kiss, Koi e Honey & Clover são alguns trabalhos josei bastante conhecidos.

Gekigá, mais que uma categoria de quadrinhos japoneses, se apresenta como um movimento artístico. Traduzido literalmente como "figuras dramáticas", ele surgiu em oposição ao mangá convencional ("figuras irresponsáveis"), buscando abordar temas mais adultos, com traços mais clássicos e realistas em contraposição ao estilo "cartoonesco" dos mangás mais comerciais.

Originou-se de fanzines disponibilizados por bibliotecas públicas de Osaka, conhecidas como kasihonya, que, logo após a II Guerra, se prontificavam a levar leituras de baixo custo para a população em geral, especialmente adultos, e, permitiam aos artistas um experimentalismo maior que as grandes editoras do período.

Sem dúvida, um dos mais famosos e marcantes gekigás é a série Kozure Okami (Lobo Solitário), criada nos anos 70 por Kazuo Koike e Goseki Kojima. No Japão, o impacto da saga do ex-executor do Shogun, Ito Ogami, e seu filho, Daigoro, é imensurável, ecoando ainda em produções recentes como Vagabond. No ocidente, sua influência também se faz presente, como na obra de Frank Miller (Sin City, 300 de Esparta), na série de graphic novels Estrada para a Perdição ou mesmo na animação Samurai Jack.

Outros gekigás de destaque são Mai - A garota sensitiva, Akira, Crying Freeman e Gen-Pés Descalços. Este último, apesar dos traços cartunescos é considerado gekigá devido à sua temática: o relato sobre os sobreviventes da bomba de Hiroshima, entre eles o próprio autor, Keiji Nakazawa.

Hentai é o termo empregado para designar os mangás eróticos e pornográficos japoneses.

No ocidente refere-se a qualquer produção quadrinística nipônica que mostre explicitamente um intercurso sexual. No Japão, usa-se uma pequena diferenciação entre as produções eróticas. Obras que apresentam cenas de sexo convencional são designadas pelos termos 18-kin (proibido para menores de 18 anos) ou seijin manga (mangás para adultos).

Os hentais, portanto, se referem a trabalhos que exploram fetiches sexuais em suas páginas. Algumas vezes se usa o termo ecchi para se dizer desse tipo de publicação. Ambos, hentai e ecchi, podem ser traduzidos, entre outros significados, como perversão.

Shounen-ai/Yaoi - Ambos os termos são usados para designar histórias que contém temáticas relacionadas a relações homo-eróticas masculinas. No Japão usa-se também o termo Boy's Love para esse tipo de história, que seria a tradução de shounen-ai para o inglês (shounen = garoto, ai = amor)

Entretanto, o shounen-ai aborda o tema de maneira mais leve, tendo como foco a relação afetiva dos envolvidos. Já o yaoi dá ênfase à relação sexual propriamente dita. A palavra yaoi vem da expressão: "Yama nashi, Ochi nashi, Imi nashi" (sem clímax, sem piadas, sem sentido).

No ocidente, os termos shounen-ai e yaoi são, muitas vezes, usados como sinônimos.

Exemplos de histórias com conteúdos shounen-ai: Sailormoon, Princess Princess, Tokyo Babylon.

Shoujo-ai/Yuri seriam os correspondentes femininos de, respectivamente, shounen-ai e yaoi.

O shoujo-ai se refere a histórias românticas protagonizadas por casais femininos, focando no envolvimento afetivo das garotas, sem necessariamente significar envolvimento sexual. Já o termo yuri trata de obras com cenas de caráter mais sexual. O termo yuri hentai também designa trabalhos explicitamente pornográficos.

Assim como shounen-ai/yaoi, no ocidente, shoujo-ai/yuri são tomados como sinônimos.

Sailormoon possui um dos casais shoujo-ai mais famosos dos mangás: Sailor Uranus e Sailor Neptune. Outra história com características shoujo-ai é Noir.

O mangá Fushigi no Kuni no Muyuki-chan (Miyuki-chan in Wonderland), do Clamp, pode ser considerado um meio termo entre shoujo-ai e yuri, embora tenda mais para a segunda categoria, e tomado por muitos como tal.

Doujinshi, ou simplesmente doujin, pode ser literalmente traduzido como "mesma coisa, pessoas diferentes". Em outras palavras, refere-se a histórias protagonizadas por personagens conhecidas, mas escritas por outras pessoas que não seus criadores.

Partindo dessa perspectiva, muitos escritores de fanfics que se especializam em histórias baseadas em animes e mangás denominam seus trabalhos como doujinshi, mesmo que ele não contenha ilustrações.

Entretanto, o termo usualmente se refere a mangás/fanzines de artistas (ainda) não profissionalizados, podendo conter tanto histórias originais quanto fanfics.

Alguns artistas, mesmo depois de estabelecidos profissionalmente, ocasionalmente fazem doujinshi. Um exemplo é o grupo Clamp, que, depois de famoso, realizou Tenku Senki Shurato Original Memory (Muma) em 1990, baseado no mangá Tenku Senki Shurato de Hiroshi Kawamoto, cujo anime foi exibido no Brasil pela extinta Rede Manchete nos anos 90.

Com o advento da internet, a profusão de doujishins aumentou drasticamente. Muitos são os fãs que disponibilizam seu trabalhos em sites como o DeviantART. O site Aku Tenshi tem uma pagina dedicada exclusivamente a douijishin.

O termo Doujinshi Circle é utilizado para nomear um grupo de artistas que trabalham coletivamente na criação de uma obra. O Clamp começou sua carreira como um Doujinshin Circle, contando com 11 integrantes nos seus primódrios. O grupo brasileiro Crimson Mark (ou Marca Rubra) recentemente inaugurou um site, tentando se estabelecer como um Doujinshi Circle virtual, embora seu trabalho seja essencialmente textual.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://animemoment.ativoforum.com
 
Curiosidade: Estilos de anime e mangá, e aí qual é o seu?
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Qual é o mais forte Cavaleiro?
» Anime Friends 2010
» Anime Friends 2012
» [Tópico 1]Saint Seiya ? - Novo Anime da série Saint Seiya.
» Anime Friends 2013

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Anime Moment :: Seu espaço-
Ir para: